• Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

IPEM/SP autua oito veículos-tanque que transportam produtos perigosos

E-mail Imprimir PDF

Veículos não apresentaram certificado de verificação de cronotacógrafo. 

O Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP), autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, promoveu nesta sexta-feira, a operação "De olho na rodovia". Durante a ação, foram autuados oito, dos 24 veículos-tanque que transportam produtos perigosos fiscalizados por não apresentarem o Certificado de Verificação Metrológica do cronotacógrafo ("caixa preta" dos veículos, que registra dados do percurso, tais como velocidade, distância percorrida, pontos de parada, dentre outros). A ação aconteceu na Rodovia Washington Luiz, SP 310, 420 km, município de Cedral, região de São José do Rio Preto.

O certificado, que é obrigatório, é emitido pelo Ipem no Estado de São Paulo, após ensaios metrológicos com o cronotacógrafo. A fiscalização contou com o apoio da polícia Militar Rodoviária.

"Os veículos que estão com o cronotacógrafo em dia apresentam menores chances de acidentes nas estradas, pois o aparelho armazena informações sobre velocidade e tempo contínuo que o motorista passa na direção", explica o superintendente do Ipem-SP, Fabiano Marques de Paula.

A data limite para que veículos-tanque obtivessem o certificado expirou em agosto de 2009. Para os ônibus, o prazo varia de acordo com os finais das placas: 2 (fevereiro); 3 (março); 4 (abril) e 5 (maio), 6 (junho), 7 (julho) e 8 (agosto).

Proprietários dos caminhões ou empresas autuadas têm dez dias para apresentar defesa ao Departamento de Análise e Gestão de Processos do Ipem-SP, que definirá multa que varia de R$ 100 a 50 mil, dobrando na reincidência.

Cronotacógrafo

O cronotacógrafo, considerado a 'caixa preta' dos veículos, contém um disco diagrama de papel ou fita que deve ser trocado a cada 24 horas ou a cada sete dias. Com os dados emitidos pelo equipamento é possível confirmar, dentre outros dados, distância percorrida pelo veículo, limites de velocidade e tempo de direção.

O modelo do aparelho deve ser aprovado pelo Instituto de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), por isso, o primeiro passo é passar por uma oficina autorizada pelo fabricante e credenciada pelo órgão para lacrar o instrumento. Em seguida, o veículo precisa passar por ensaios em um posto autorizado pelo Inmetro para saber se atende aos requisitos previstos no regulamento. O posto emite um relatório que é encaminhado ao Ipem-SP junto com os discos do cronotacógrafo para realização de ensaios metrológicos. No caso de aprovação, é emitido o certificado de verificação, válido por dois anos em todo o território nacional.

Fonte: www.cidadao.sp.gov.br

voltar

Última atualização em Sex, 17 de Setembro de 2010 21:56  

Login

Busca

banner.jpg

Newsletter